jusbrasil.com.br
17 de Agosto de 2019

A importância da assessoria jurídica para empresas.

Adriana  Gonçalves, Advogado
Publicado por Adriana Gonçalves
ano passado


As empresas sempre estão passando pelas mais diversas situações, e muitas vezes necessitam tomar decisões que podem ser conflitantes e que geralmente prescindem de conhecimentos jurídicos específicos, ou poderão ter consequências desastrosas, mas, para a maioria das empresas contratar um advogado com exclusividade pode ser muito caro, porém, existe a opção de contratar um escritório que preste assessoria jurídica e é uma opção bem mais econômica e resultado realmente eficiente.

As relações empresarias se manifestam de muitas formas, com relações de contratos com fornecedores, relações tributárias, societárias e principalmente trabalhistas, e essas relações merecem ser assessoradas por um advogado, a fim de orientar as decisões que serão empregadas entre os envolvidos, sabemos que um procedimento errado, mesmo que por falta de conhecimento pode trazer consequências desastrosas ás empresas.

O serviço de assessoria e consultoria jurídica pode variar de escritório para escritório, cada um oferece seu serviço de uma forma, uns oferecem em todas as áreas e outros em algumas especificas, a área trabalhista é sempre a mais requisitada, haja vista ser a mais conflituosa das relações.

Com um serviço de assessoria, que consiste em assistir as decisões, evitando decisões que possam gerar a formação de uma lide, buscando soluções legais para as mais diversas situações, as empresas economizam gastos com demandas jurídicas que podem ser evitadas.

As pequenas empresas também devem ter acesso a esse serviço, que deve ser prestado de acordo com as necessidades da empresa, portanto não será demasiado oneroso a essas ter o apoio de um advogado para tomada de decisões importantes.

Os empresários devem avaliar os custos e benefícios para concluir a melhor solução para sua empresa, no Brasil não existe a cultura da prevenção, se entende talvez que seja inadequado gastar se não existe um problemas, porém, a prevenção consiste em um gasto para evitar que venha a existir um problema, que certamente lhe trarão prejuízos muito maiores.

Referências:

http://www.adrianagoncalvesadv.com.br/consultoriaeassessoria-juridica-52624

Conheça nosso site: adrianagoncalvesadv.com.br

FACEBOOK: https://www.facebook.com/adrianacpgadvocaciaeconsultoria/

2 Comentários

Faça um comentário construtivo para esse documento.

Não use muitas letras maiúsculas, isso denota "GRITAR" ;)

Realmente em nosso país não vigora a cultura da segurança. Entidades civis e jurídicas costumam só buscar o auxílio de um advogado quando o "calo dói". É uma cultura predominantemente desprendida da prevenção, e que paga caro por essa escolha. 95% das empresas abertas no país encerram suas atividades em menos de 5 anos, e o fator mercadológico não é o único que determina esse desfecho: a principal falha está na ausência de orientação jurídica, o que faz com que os empreendimentos absorvam impactos tão abalantes que fica quase que impossível reverter a situação conflitante.
Há de se cultivar a cultura da prevenção para que as pessoas jurídicas de direito privado logrem perdurar em pleno funcionamento, adequadas à lei e evitando as constantes e repetitivas demandas que as fazem perecer em diversas áreas, v.g, ambiental, laboral, administrativa, tributária, etc. continuar lendo

Concordo plenamente, infelizmente no Brasil o investimento em prevenção é visto como gasto desnecessário, o que acaba custando caro posteriormente. continuar lendo